Igreja

Igreja
A Igreja é de Cristo e é essa que o cristão deve ambicionar servir e não usar

domingo, 18 de dezembro de 2016

Obrigado Padre! (legendado)

Bom Domingo do Senhor!

Imitemos o Santo Patriarca José e atentos como ele fez ao escutar com total confiança o Anjo do Senhor (Mt 1, 18-24) façamos sempre o que ele nos pede mesmo quando momentaneamente não o entendemos.

Louvado seja Deus sempre pelos nossos atos e orações através da Virgem Santa Maria, os Seus Anjos e Santos!

Carta ao Menino Jesus

Querido Menino Jesus,

Pedimos-Te sobretudo pelo Papa Francisco e pelo seu Pontificado, mas queremos continuar a pedir-Te pelo nosso tão amado Papa Emérito Bento XVI.

Não Te vou esconder o grande amor que tinha e tenho por Joseph Ratzinger, mas na Tua condição Divina sabes bem, que também amo Jorge Bergoglio para quem Te rogo todas as graças e proteção. O seu pontificado tem tido muitos momentos vibrantes interpelando-nos permanentemente no nosso comodismo de cristãos pecadores tantas vezes desatentos. Dirige-nos sempre para Ti e para os mais carenciados que nos faz ver que são o Teu reflexo aqui na terra, tem vindo a renovar as estruturas da Igreja, sendo que algumas são mal aceites, como se a Tua Igreja ao longo da história não tivesse evoluído e adaptado às realidades do seu tempo. Também é verdade, que muitos se sentem desorientados com algumas das suas visões para os problemas concretos dos cristãos e que dão azo a interpretações nem sempre claras.

Perdoa-me, querido Menino Jesus, se esta carta não obedece aos parâmetros habituais, nem está escrita com aquele espírito de criança que tanto aprecias, mas o meu amor ao Romano Pontífice traz-me preocupado com a unidade da Tua Igreja e o receio que lhe façam mal ou que o ritmo de trabalho e evangelização que impõe a si próprio com os seus oitenta anos, ontem completados, seja demasiado. É certo, que para Ti nunca nada que façamos é demais pois tudo mereces, mas também é certo, que com o avançar da idade vamos perdendo agilidade física e ganhando por Tua graça tranquilidade e sabedoria, ainda assim rogo-Te que o defendas e que o Espírito Santo o ilumine.

“Last but not least” queria agradecer-Te, por manteres bem de saúde e em oração por Francisco e pela Igreja, o Papa Emérito, de quem vimos imagens há dias e das quais transparece apesar dos seus nove anos estar bem apesar de algumas dificuldades físicas.

Obrigado por me concederes a vontade de Te escrever e de Te poder dizer por escrito que Te amo na Santíssima Trindade acima de todas as coisas, ao testemunhá-lo só ambiciono o Teu louvor, a proteção de Jorge Mario e Joseph manifestando-Te a minha filial gratidão.

Estamos a poucos dias do Teu Natal e ansiamos por Te acolher no Presépio e no nosso coração.

Um beijo de profundo amor e devoção,

João Paulo Reis

«Maria, Sua mãe, estava desposada com José»

São Pedro Crisólogo (c. 406-450), Bispo de Ravena, Doutor da Igreja
Sermão 146, sobre Mt 1, 18; PL 52, 591

«Maria, Sua mãe, estava noiva.» Teria sido suficiente dizer: Maria estava noiva. Que significa uma mãe noiva? Se é mãe, não está noiva; se está noiva, ainda não foi mãe. «Maria, Sua mãe, estava noiva»: noiva pela virgindade, Mãe pela fecundidade. Era uma Mãe que não conhecera homem e que, no entanto, conheceu a maternidade. Como não seria mãe antes de ter concebido, Ela que, após o nascimento, é virgem e mãe? Quando é que não foi mãe aquela que gerou o fundador dos tempos, Aquele que deu um começo às coisas? [...]

Porque se destina o mistério da inocência celeste a uma noiva e não a uma virgem ainda livre? Porque tem o ciúme de um noivo de pôr a noiva em perigo? Porque será que tanta virtude parece pecado e a salvação eterna um risco? [...] Que mistério se encontra aqui, meus irmãos? Não há um traço, uma letra, uma sílaba, uma personagem do Evangelho que esteja vazio de sentido divino. É escolhida uma noiva para ser já designada a Igreja, noiva de Cristo, segundo as palavras do profeta Oseias: «Então te desposarei conforme a justiça e o direito, com misericórdia e amor. Desposar-te-ei com fidelidade» (2, 21-22). É por isso que João diz: «Aquele que tem a esposa é o Esposo» (Jo 3,29). E São Paulo: «Por vos ter desposado com um único esposo, como virgem pura oferecida a Cristo» (2 Cor 11, 2). Oh verdadeira esposa, a Igreja, que pelo nascimento virginal [do batismo], gera uma nova infância de Cristo!