Natal

Natal
Vinde, Senhor Jesus! Estamos ansiosos pela vossa chegada para proclamarmos de novo o nascimento do Filho de Deus Pai

terça-feira, 6 de junho de 2017

CONVITE - Lançamento dia 11 de junho


Não andarás encolhido, porque o teu amor é pequeno?

A graça de Deus não te falta. Portanto, se correspondes, deves sentir-te seguro. O triunfo depende de ti: a tua fortaleza e a tua garra – unidas a essa graça – são razão mais que suficiente de te dar o optimismo de quem tem a certeza da vitória. (Sulco, 80)

Não sejais almas de via reduzida, homens ou mulheres menores de idade, de vistas curtas, incapazes de abrangerem o nosso horizonte sobrenatural cristão de filhos de Deus. Deus e Audácia! (Sulco, 96)

Audácia não é imprudência, nem ousadia irreflectida, nem simples atrevimento.

Audácia é fortaleza, virtude cardeal, necessária para a vida da alma. (Sulco, 97)

Li uma vez um provérbio muito popular nalguns países: "O mundo é de Deus, mas Deus aluga-o aos valentes"; e fez-me reflectir.

Por que esperas? (Sulco, 99)

"Não sou o apóstolo que deveria ser. Sou... um tímido!".

Não andarás encolhido, porque o teu amor é pequeno? Reage! (Sulco, 100)

São Josemaría Escrivá

São Josemaría Escrivá nesta data em 1938

Anota: “Segunda-feira, 6 de Junho. a minha oração da manhã a caminho de Las Huelgas: guiado por São José, meti-me, com a luz do Espírito Santo, na Chaga da mão direita do meu Senhor”.

Falai muito a Deus das almas

Recordei-vos noutras alturas aquele conselho do nosso Padre:antes de falar às almas de Deus, falai muito a Deus das almas [7]. O trato pessoal com Jesus Cristo na oração é a fonte de que se nutre a nossa paixão por comunicar a todos a beleza da fé, para dar luz onde os homens vivem às escuras. É a proximidade de Deus que permite iluminar o mundo. Por isso o nosso Padre dizia que quanto mais dentro do mundo estivermos, tanto mais temos de ser de Deus [8].
S. Josemaria transmitiu-nos uma visão positiva do mundo, das tarefas humanas nobres. Portanto, a nossa atitude, mais do que defensiva, há de ser propositiva. O cristão não tem medo da verdade, de enfrentar as difíceis questões que o ambiente ou a sociedade lhe colocam. Sabe que, embora ele mesmo nem sempre tenha todas as respostas, o Evangelho tem a capacidade de iluminar os dilemas e os problemas mais difíceis. Este amor à verdade faz que o cristão transmita a sua fé como aquilo que é: um sim imenso ao homem, à mulher, à vida, à liberdade, à paz, ao desenvolvimento, à solidariedade, às virtudes. Se Cristo nos fez felizes, é normal que essa mesma alegria se transmita na nossa atitude. De facto, «a força com que a verdade se impõe tem que ser a alegria, que é a sua expressão mais clara. Nela deveriam os cristãos apostar e com ela deveriam dar-se a conhecer ao mundo» [9].
Pergunta-te pois, minha filha, meu filho: estou contente por Deus me ter chamado a dá-Lo a conhecer aos outros? O meu apostolado é uma sementeira de paz e de alegria [10]? Tenho iniciativa na minha formação doutrinal, para dar mais profundidade e dinamismo à minha vida interior?
[7]. S. Josemaria, Notas de uma reunião familiar, sem data conhecida (AGP, biblioteca, PO 1, VIII-1982, p. 88).

[8]. S. Josemaria, Forja, n. 740.

[9]. Cardeal Joseph Ratzinger, "Que significa para mim o Corpus Domini?", in Opera Omnia, vol. II, parte C, XI, 4.

[10]. S. Josemaria, Amigos de Deus, n. 105.

(D. Javier Echevarría excerto da carta do mês de junho de 2016)
© Prælatura Sanctæ Crucis et Operis Dei

A bem da verdade!

Infelizmente a mentira, o faz de conta, o parece que é, mas na realidade não é, esmaga-nos constantemente, na vida política, social e económica, na publicidade e na informação, o que nos obriga a estar profundamente atentos e tentar descodificar as não-verdades que nos pretendem impingir.

Ora, sucede que na nossa boa-fé e por formação, não estamos muitas vezes apetrechados para nos defender, pelo que deveremos ser cautelosos e, digo-o com tristeza e mágoa, sempre à defesa sobretudo nas áreas que anteriormente referidas.

O ideal seria ter o tempo e a disponibilidade para consultar várias fontes sobre o mesmo tema, na sua impossibilidade, sejamos humildes de coração e não nos deixemos cair na tentação de comentar temas que não dominamos, para assim não contribuirmos, ainda que involuntariamente, à propagação da mentira.

As mensagens de correio electrónico e as denominadas rede sociais são hoje muito utilizadas para efeitos difamatórios, pelo que jamais as deveremos reenviar/divulgar a terceiros, sem ver, ouvir e ler os seus conteúdos, além de sermos cautelosos na sua divulgação e partilha.

JPR


«… farás um inquérito, averiguarás e informar-te-ás bem. Se for verdade que essa abominação foi cometida no meio de vós»

(Livro do Deuteronómio 13, 15)

Reconciliação

«Se fores, portanto, apresentar uma oferta sobre o altar e ali te recordares de que o teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão; depois, volta para apresentar a tua oferta»

(S. Mateus 5,23-24)

«A verdadeira reconciliação entre homens que são adversários e inimigos entre si, só é possível, se se deixarem, simultaneamente, reconciliar com Deus».

(São João Paulo II)

O Evangelho do dia 6 de junho de 2017

Enviaram-Lhe alguns dos fariseus e dos herodianos, para que O apanhassem em alguma palavra. Chegando eles, disseram-Lhe: «Mestre, sabemos que és verdadeiro, que não atendes a respeitos humanos; porque não consideras o exterior dos homens, mas ensinas o caminho de Deus segundo a verdade: É lícito pagar o tributo a César, ou não? Devemos pagar ou não?». Jesus, reconhecendo a sua hipocrisia, disse-lhes: «Porque Me tentais? Trazei-Me um denário para Eu ver». Eles o trouxeram. Então disse-lhes: «De quem é esta imagem e esta inscrição?». Responderam-Lhe: «De César». Então Jesus disse-lhes: «Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus». E admiravam-n'O.

Mc 12, 13-17